sexta-feira, 10 de março de 2017

Poeira




O chão seco
escreve
a poeira
do que foi
passo a mão
em meus pés
colho o verde incansável
eu permaneço
para além da secura
ou do passado
uma porção de sol
alimenta os meus ossos
reage meu corpo à desilusão
visando um encontro
com um equilíbrio
que renasça a beleza do caminho.

2 comentários:

  1. Que lindo!
    E que o caminho seja belo, independentemente dos obstáculos.

    Beijos!
    Blog: *** Caos ***

    ResponderExcluir
  2. Suave. Vem e vai, e nao deixa nunca de caminhar.

    Abraco profundo.

    ResponderExcluir