terça-feira, 13 de outubro de 2015

desconhecidos e iguais

Estás escondido e liberto
quais foram teus erros ?
de certo não piores que os meus

Rasgadas tuas dores
sombras
e esperança
Teu silêncio quer desabar

Grita !
Eu já estou farta de sussurrar

Sei
Ninguém ouve ou sente
Onde estão ?
Senão por dentro

desconhecidos e iguais
Minha magreza pede a nudez de minha alma
Desencontros

passeio nos limites
da linha

da

loucura
sua e minha

3 comentários:

  1. Tua a alma se desnuda,à quem com alma te lê. O momento de encontro delas, esse é o maior desafio pra sentir e perceber. Adoro teus poemas,mas "Em que hei de pensar" me arrebatou. Puro demais, cru de tudo,tão lindo que nem a alma, respira.
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Não exagera o Nada...

    O Nada é o Tudo!


    Maria luísa Adães

    "os7degraus"

    ResponderExcluir
  3. Os devaneios nos torna a todos poetas e no silencio das palavras há sempre uma alma que grita... Tentamos minimizar em versos. Lindo!

    ResponderExcluir