sábado, 13 de abril de 2013

Da resposta

E no amanhecer da dor, que findou-se ao florescer da resposta ao pedido feito em silêncio. Oportuno amanhecer do sol, que havia se escondido em meu nublado coração, acostumado em vestir-se com roupas que não lhe cabe, beijos não seus. Sinto-me aliviada por poder continuar com a mania de usar o não como escudo. Reconheço. Não sei lidar comigo mergulhada em paixão. Costumo perder o rumo, dar corda ao ciúme, exagerar em abraço, não o deixando ir. Me prendendo em vazias palavras, mantidas por vaidade, vontade que fosse saudade. Verdade de quem ama. O gritar de gestos incoerentes, implorando, pra que me deixes ir.
 
Milene Cristina

Um comentário:

  1. Que fermosa a muller da foto.

    "Não sei lidar comigo mergulhada em paixão."
    Esta e unha desas frases máxicas que me fascinan pola súa realidade e a súa fantasía...

    Pareceume fermoso, Milene, e pregúntome se non gardará relación coa entrada xustamente anterior... claro que iso ten que ver coa sensación que esa entrada me deixou (unha boda ou unha pedida de matrimonio). Imaxino que, en realidade, pouco teñen que ver, e coido que así é máis bonito. Este textiño ten forza dabondo para manterse só.

    ResponderExcluir