quarta-feira, 24 de abril de 2013

Nada pergunto


 
Hoje o tom é azul, saudade amarelou-se, cor sem vida, sentir que nada traz. Prefiro essa cor de céu, da paz que enfim fez em mim seu pouso, senti várias vezes seu vôo sobre minha alma, que me agarrava fazendo tudo se desprender, fazia que não via, desviava o olhar pra evitar o meu encontro. Mais que alívio entregar-me, o inaugurar em me ter nas mãos. Mesmo que seja apenas horas, nada pergunto, deixo-me sentir.

Milene Cristina

2 comentários:

  1. Coma na foto, ás veces un quere só mirar para o ceo, estender os brazos e, simplemente, deixarse sentir. Deixarse atrapar pola inmensidade azul do universo. Ás veces gris. Ás veces negra. Ás veces de moitas cores...

    ResponderExcluir
  2. Por amor por entregarmo-nos lutamos.
    GK

    ResponderExcluir