sexta-feira, 8 de março de 2013

Compatível

 
Sempre fui do silêncio, pois quando falo, sai tudo o que há em minha alma. E não se pode deixar-se tão vulnerável assim. Mas o que faço se não gosto de escolher palavras, costumo ser eu, mais só entro se convidada. Não invado, chego quando necessário. Por isso observo, acumulo.
Faço da incompreensão, o momento de me mostrar. Sou complexa e simples, sonhar é minha maior realidade.

Milene Cristina

5 comentários:

  1. Silenciosamente comento aqui, pois também prefiro ser do silêncio (pelo menos por aqui). :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiago que bom que postou ontem No Pedaços Literários, fazia muito tempo.Sou do silêncio, mais se quiser chegue com barulho também. Beijoo!!

      Excluir
  2. Eu: ou falo demais ou falo de menos. Por isso me identifiquei com o que escreveste. Parece que a gente se dá melhor quando são as palavras que nos escolhem né?! Gostei! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Paint this grey world by rainbow of your smile and those clouds dissipate above the stone jungles, keep it

    ResponderExcluir