quinta-feira, 18 de abril de 2013

Hóspede

 
Quero me hospedar em girassol sempre a buscar pelo sol, e nas páginas do livro viajar, me inserindo na história, fazendo hora no que foi marcado da leitura noturna, pois não adormecem os sonhos do querer. Ser o pingo d'agua constante, fazendo mudar a rocha, melodia da insistência sutil. Me preferindo vento de verão, que se levanta alegre por gostar de seu papel no tempo.Ou quem sabe, ser a janela da menina, que sorri com os olhos, pois desenha a paisagem com seu imaginar . Ser então o inesperado, chegar sem aviso, mais com flores nas mãos, carinho nos olhos de saber lugar certo, por ser você quem eu esperava, quem guardava no tesouro do amor reconhecido , onde a alegria nunca folga, lugar esse, que não  rejeita a tristeza, tudo bem, a deixamos passar. Já acordada ,volto para o que nesse instante eu sou, um pouco dessas palavras, a vontade desse amor.

Milene Cristina

2 comentários:

  1. "Ser o pingo d'água constante, fazendo mudar a rocha, melodia da insistência sutil. Me preferindo vento de verão, que se levanta alegre por gostar de seu papel no tempo."

    Milene, lindo. Me adiciona no Facebook? pedrotorresfilho

    Cheiro!

    ResponderExcluir
  2. Moito escribiches nuns poucos días que non pasei por blogger. Iso está ben. O teu xenio mantense vivo.

    Que viaxe máis bonita. Que lindo sería en verdade poder mirar cos ollos do mundo =)

    ResponderExcluir