terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Reinventando cantigas de roda

 

Mãos dadas entrelaçados dedos,
entrelaçando vidas noite boa de se namorar .
Lembro-me bem dos mesmos dedos
nas cantigas de roda de quando menina,
vida mais leve, ingênua alegria ;
Pula corda, entra na roda fazendo sonhar.
Hoje pula medos, dá volta em saudade
entra e sai na roda do viver.
Não pega mais flores pra pôr no cabelo,
pois já não as vê por aí.
As cores mudaram,
os perfumes não são os mesmos.
Reinventando tenta seguir.

Milene Cristina

2 comentários:

  1. Muito bom.

    É triste que passemos pelas cores sem as notas.

    As flores continuam pelo caminho, essa inevitável tragédia de ser adulto é que nos faz passar por elas, como se fossem apenas cenário...

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Matheus!!
    Bonito o que escreveu: Flores pelo caminho, mais apenas um cenário.
    Um abraço :)

    ResponderExcluir