segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O amor não tira férias

"Eu descobri que quase tudo que escreveram sobre o amor é verdade.
Shakespeare disse:Encontro de amor é jornada finda. Ai. Que idéia fabulosa!!
Eu mesma nunca vivenciei uma coisa remotamente parecida, embora acredite que Shakespeare possa ter feito isso.
Eu acho que eu penso no amor mais do que qualquer um deveria;
Fico sempre perplexa com seu enorme poder de modificar e definir nossas vidas.
E foi Shakespeare que disse o amor é cego;
Isso é uma coisa da qual eu tenho certeza.
Para alguns de maneira inexplicável o amor começa a murchar;
Para outros o amor simplesmente se perde;
Por outro lado claro, o amor pode ser encontrado;
Mesmo que apenas por uma noite.
E há também o outro tipo de amor: O tipo mais cruel, aquele que quase mata suas vítimas.
Ele se chama amor não correspondido, e eu sou especialista nele.
 A maioria das histórias de amor é sobre pessoas que se apaixonam umas pelas outras.
Mais e o restante de nós, e as nossas histórias? Nós que nos apaixonamos sozinhos.
Somos vítimas de uma relação de mão única, somos a maldição dos apaixonados, somos os não amados os que caminham feridos, os deficientes sem direitos a uma vaga exclusiva. É vocês estão olhando para uma pessoa assim.
Eu amo um homem por espontânea vontade há mais de dois anos terríveis.
Certamente os piores da minha vida.
Os piores natais, os piores aniversários, réveillons regados a lágrimas e calmantes.
Esses dois anos em que estive apaixonada tem sido os mais tristes da minha vida.
Ai meu Deus só de olhar pra ele, meu coração dispara, minha garganta aperta, impossível engolir. Os sintomas de costume."(Trecho do filme: O Amor não tira férias)..

Nenhum comentário:

Postar um comentário