sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Valsa só (fragmentos)

A respiração como onda
indo e vontando
Tão vasto peito
sua solidão é feito jardim
a esperar primavera
Se cala quando a tempestade cai
E os tremores sobre os telhados
Tropeçam e rolam
e cessam no chão escuro.
transformando lembranças
em espelhos
encostados no passado

domingo, 18 de setembro de 2016

pequenina

Arde
arte
Transborda infinitos
Castigo
Alegria
O dia entediado
nos engole devagar
Jogo palavras nessa boca
pintando cores esparramadas
No muro
Na claridade da arte
Resistindo
Quero me livrar
Enxergar-me nos outros
Nas coisas escondidas
Estampadas
Tapando lábios
Escorrendo nas lágrimas

Disse um dia a uma pequenina
quando escrevia no barro seco do quintal :
Flui teu silêncio
Constrói aos berros
A delicadeza da arte.

terça-feira, 31 de maio de 2016

estradas de vento

Dissolve as portas
Amarelo dourado
estações que acabaram solitárias
é canto
é dor
desabrocha nas flores
receosas contemplam os pesadelos
angústias disfarçadas de palavras
sua permanência desprende um pertencimento errôneo
sem frutos
cala tua boca
reserva a alegria das janelas e estradas de vento
busca asas em pés firmes
chão, onde as pedras são mutantes de olhos amáveis
.

sábado, 14 de maio de 2016

Quase entardecer



Sã ?
a desordem atravessa o raio de sol
a cumprir as palavras de olhos desertos
de bocas que silenciam o dia
minha agonia é semelhante a do frio de outono a esperar seu fim
todas as faces que me beijam distorcem os traços por detrás de meu corpo
solto
o pássaro cantador reflete sua fragilidade no lago tranquilo
reflito
o destino do meu nome
Esqueço
 e me atenho a uma porção de esperança
Meu querer ?
uma voz doce que me faça despertar.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Mentira

No corpo um salto
a imaginar ter asas
derrubando as coisas que sufocam
os temores envelhecidos
Pular
e não gemer no infinito da noite
nos sacrifícios do dia
Seria
uma palavra inteira
E diria todas as outras
E mais,
todos os outros
Mas não há salto
há o sonho apenas dormindo
e palavras nada sonoras

E toda espera é mentira
quando é vazia a ansiedade
e a temporária alegria da certeza não vem.