sábado, 14 de novembro de 2015

a primeira

Improviso uma luz em meu peito
que queima
que é vida
e dela não sai palavra alguma torta pela perfeição
garanto meu debruçar por dentro
íntima
calma
feliz
o mundo de longe me olha
corro em pensamento
atravesso
horizontes
portas
medo

não penso no distante da certeza
quero ainda acreditar
na esperança.