terça-feira, 21 de julho de 2015

Cinza


Sem caber na cama
meu corpo - imensidão
eu sonho
visitação ao
inconsciente avassalador
jogo-me em meio à neblina
menina,
semente
ou no topo do erro
a colher meus impulsos amargos ?
Me devora esse encontro
morto-amor
sua secura me fere
sugerindo um poema em branco
santo dia cinza
sentenciando tua ausência.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Descompasso


De ponta cabeça
 olho as estrelas caídas
e a porta que aperta as paredes do meu corpo
  range.
Eu sussuro uma sensação de vida pela manhã
descompasso o relógio
  e o tempo me sorri.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Tua

Ainda falta-me o ar e ainda sobra o teu nome no meu pensamento mais profundo . Quanto a fuga ? Nada adiantou. Olhei pra trás em todos os passos que dei em direção contrária à você. Tenho pena dessas minhas palavras que se repetem, ainda adoecidas por teus olhos. Muitos finais desejei antes do final, mas nunca aconteceu, não consegui deixá-lo, nem mesmo a porta soube bater em paz, não se fechou. Releio cada traço em meu rosto sem tua alegria , tua alegria. Tua. Talvez seja ela que mais me faça falta.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Outros

Não sabem
que o meu grito mais forte
É este silêncio em mim

sexta-feira, 3 de julho de 2015

e a felicidade soube de mim



Eu o conheci quando a esperança me embalava
Disse a ele o quanto não sabia do mundo
Ele quis me mostrar
Sorria a qualquer sinal de menino
Vendo naquele homem toda minha vida
Ele me dizia palavras tão confusas
Mas se encaixavam em meus ouvidos
Tão doente eu estava para que tudo fosse certo em mim
Precisei que ele chegasse e mostrasse meus defeitos
sendo tão gentil com a vida
que com ele era menos cruel e com um ar que nunca havia respirado
E todas as datas, ruas e notícias tinham um sentido
sem que eu ignorasse o sol da manhã
Pronunciei amor em todos os dias dos anos que comigo ele esteve
Era naturalmente feliz e a felicidade soube de mim.