quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Breve encontro


Moça por que choras?
Vejo as lágrimas
secarem teu rosto

Não vês?
Perdeu-se de ti

Quebre seus muros
Deixe um pouco de sonhar
Não é só flutuar
a vida

Distraia teus enganos
Tens um punhado de promessas nas mãos
O cheiro do teu perfume
lembrando amor do passado
Deixe-o passar

De uma cor indecifrável são teus olhos
Traga a cor da tua infância
Tome um gole daquela que um dia foi.

Se te encontras ao ferir a ferida
Mergulhes no absurdo
Mas seja breve
Salve-se
Olhe para fora
saia de si.


Milene Cristina