segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Um novo olhar



Limpar as gavetas e o coração
Fechar as portas do ano que passou
Abrir portas e janelas desse ano que se chega
Esquecer o que se foi esquecido
Guardar do que passou ,apenas o que acrescentou
Não fingindo que não se chorou
Mais sim chegar leve, com os pés descalços
Com os braços abertos à espera
Da esperança que um novo ano traz
Um olhar treinado para ver o lado bom
Um olhar para a felicidade escondida dentro de nós
Que entre com o novo ano
Paz, saude, alegria e Deus sempre à guiar nossos passos.

(Milene Cristina)

domingo, 30 de dezembro de 2012

O poeta é belo


 
O poeta é belo como o Taj-Mahal
feito de renda e mármore e serenidade
O poeta é belo como o imprevisto perfil de uma árvore
ao primeiro relâmpago da tempestade
O poeta é belo porque os seus farrapos
são do tecido da eternidade

Via A Magia da Poesia
(Poema publicado originalmente no livro Esconderijos do Tempo,
 retirado de Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 488)
(Seleção de Fabio Rocha)
 

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

De dentro pra fora


Quero sentir a luz que um amor traz
Sentir nossos perfumes misturados
Pensar em você e sorrir
Ouvir qualquer música e suspirar
Correr pra te encontrar
Não querer te deixar. Mostrar minhas fraquezas
E como sou forte quando está ao meu lado
Sentir a vida querendo viver de dentro pra fora.

Milene Cristina

domingo, 23 de dezembro de 2012

Devaneios


Alegria, Alegria
Vem e chegue com o novo dia
Dia esse com sorvete e beijinhos
Esquecida de que um dia conheceu a tristeza
Agora só com a clareza de um sorriso, ou um dia de sol
Ah! Alegria como te esperei. Muitas vezes me enganei
À confundia com sorrisos não sinceros, abraços sem esmero
Na ânsia de que chegasse
Agora me abrace
Me pegue pra ti
Que eu chore sim, mais de tanto rir
Sei que precisará ficar por um tempo longe
Pra que quando voltares
Eu me jogue novamente em teus braços
Com meus passos pisando em nuvens
E sorrisos só seus.

(Milene Cristina)

sábado, 22 de dezembro de 2012

Ser

 
Talvez seja meu coração vazio demais
E cheio de tudo que não mais me satisfaz
Não consigo me enxergar nesse espelho tão louco que é o mundo
E esse profundo vazio se reflete em mim
A incostância dos meus pensamentos e atos sem ação
Coração já virou só uma palavra bonita
Sem contexto ou verdade
Ou sentido,
Fingindo sentir o que não sente
Sonhando em sentir o que se quer
Me quero de volta, me reconhecer em meus contornos tortos
E minhas linhas retas, sem pressa, mais certa de que irei me encontrar.
E não mais vazio, nem transbordar por estar cheia demais
Não mais fugir, nem correr atrás
Só ser minha.

                                                                    (Milene Cristina)

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Nosso sentido

 
Imaginando sentir.Não só imaginei, senti ao imaginar
Chorei, sorri, te vi ao meu lado e me enxerguei
Meus defeitos em ti..Suas qualidades em mim
E nessa mistura, vi a ternura que é amar.

                                                   (Milene Cristina)

sábado, 1 de dezembro de 2012

Faça morada


E nossa espera foi tão esperada,que cada minuto vale à pena. É como um doce bom que experimentamos devagarinho pra que não acabe logo.
E deixamos a melhor parte por ultimo, pro melhor momento;
Pra um espaço especial, reservado onde só entra quem se quer bem demais, portas e janelas abertas pra junto trazer os ventos bons que um amor novo tem.Entre faça sua morada, subindo as escadas do meu querer.

Milene Cristina